Escola e família se unem em torno da educação

Programa municipal é lançado com o objetivo de preparar alunos ao mundo contemporâneo

A rotina pedagógica de alunos, pais e professores ganhou um novo ritmo desde o começo do ano letivo. A partir do programa “Escola e Família de Mãos Dadas”, lançado oficialmente à comunidade em 20 de março, durante os festejos alusivos ao vigésimo segundo aniversário do município, a Secretaria de Educação, Cultura e Desporto busca uma maior aproximação entre todos os envolvidos no ambiente escolar para aperfeiçoar as condições de ensino.


Os quatro colégios da rede municipal – Frei Henrique de Coimbra, de Nova Santa Cruz; Willibaldo Both, de Alto Arroio Alegre; Gustavo Seidel, de Sampainho e Pequeno Mundo, do Centro – estão engajados na proposta. Todos formularam ações individuais dentro do programa municipal que serão intensificadas ao longo do ano para oportunizar, sobremaneira, a participação da família nas atividades escolares.


De acordo com o secretário de Educação, Cultura e Desporto, Gilmar Hermes, entre as atividades se destacam o fortalecimento do programa Santa Clara Mais Leitor, a criação de um blog para a troca de ideias e sugestões, o resgate de valores como religiosidade, respeito, amor, humildade, amizade e solidariedade, assim como a busca por um trabalho integrado entre os diversos setores do governo, empresas, comércio, igrejas, entre outros.


Também estão previstas a criação de um jornal escolar municipal, ações de incentivo à alimentação saudável, ampliação gradativa dos ambientes escolares e uma junção de forças para o desenvolvimento esportivo e cultural.


Hermes ressalta que o programa, somado ao turno integral implantado nas três escolas do interior em março, representa avanços significativos para a educação. “A partir do aumento do tempo e espaço das crianças num ambiente escolar acolhedor, saudável e criativo, vislumbramos seres humanos melhor preparados para enfrentarem os desafios do mundo contemporâneo”. Acredita que a família e a escola são os alicerces sobre os quais podem ser edificadas pessoas solidárias, fraternas e autênticas.


Conforme o secretário, é necessário repensar a família e os modelos educacionais ultrapassados de maneira urgente, dando espaço ao debate, ao diálogo e à comunicação direta com os pais dos estudantes e com a sociedade. “Nesse contexto, fico muito feliz por esse investimento nas crianças que carecem de cuidados especiais para que consigam desenvolver plenamente suas habilidades e competências”.



As ações de cada colégio


- Escola Frei Henrique de Coimbra, de Nova Santa Cruz: dentro do programa maior, criou o projeto “Escola e Família: Um Show de Bola”, em alusão à Copa do Mundo. Entre as ações estão a manutenção das visitas às famílias dos alunos, as quais ocorrem há mais de três anos; entrega de um adesivo do projeto por família a ser colado em veículos; visitas às comunidades que possuem estudantes no colégio – Nova Santa Cruz, Chapadão, Sampaio, Sampainho e Picada Santa Clara –, inclusive com palestras; convite aos pais para que ensinem técnicas de manejo de hortas; realização de eventos em homenagem às mulheres e aos estudantes, com gincana e outras atividades durante um dia inteiro; excursão com os pais; entrega de um azulejo às famílias para ser fixado em suas casas, sendo uma forma de deixar a marca da escola; horas da leitura; criação do jornal mural; encenações do grupo de teatro e criação de uma árvore genealógica das famílias.


- Escola Willibaldo Both, de Alto Arroio Alegre: dentro do programa maior, criou o projeto “Educação: Uma Missão da Família e da Escola”. As atividades estão divididas em níveis de ensino. No caso das séries iniciais serão trabalhadas questões como hora cívica e hora do conto; criação de um baú com livrinhos de literatura infantil com abordagens relacionadas ao tema do projeto da escola; confecção de uma colcha por turma que simbolizará o que a família representa. Quanto às séries finais, os destaques serão a sacola mágica da leitura que circulará entre os alunos; parada da leitura a cada semana; dramatização de situações de conflito e harmonia familiar; trabalhos de convivência na família. Também haverá ações para todos os níveis, como momentos de estudo com a família na escola realizados a cada trimestre; parada da leitura na família, sendo que a cada trimestre será enviada para casa uma atividade para os alunos realizarem com os pais; dia da família na escola, em 28 de maio, para uma hora cívica alusiva ao combate vitorioso entre colonos santa-clarenses e maragatos; blog que servirá para divulgar a escola; cada turma terá um dia de aula juntamente com seus pais; coluna da família em cada edição do jornal escolar D’Olho.


- Escola Gustavo Seidel, de Sampainho: dentro do programa maior, criou o projeto “A família na escola contribuindo com a aprendizagem da criança”. O objetivo maior é desenvolver um trabalho coletivo no ambiente escolar, incluindo a família no processo de ensino-aprendizagem. Entre as ações previstas estão visitas das professoras às famílias; oficinas ministradas por um pai, mãe ou familiar do aluno a cada mês, sendo temas a Páscoa, caderno de receitas, livro com fatos marcantes da família, meio ambiente, confecção de uma pracinha com pneus, brinquedos da época da vovó e alimentação saudável.


- Escola Pequeno Mundo, do Centro: dentro do programa maior, criou o projeto “Família participando ativamente na escola”. Entre os objetivos estão reconhecer, valorizar e respeitar os membros da família; compreender a história de seus colegas a partir de sua própria história, respeitando e aceitando as individualidades de cada um; valorizar a família como um todo, resgatando experiências de idosos e contribuindo para as situações de aprendizagens, destacando a solidariedade; orientar as crianças sobre os direitos e deveres de cada um na família, na escola e, consequentemente, na sociedade; perceber a importância do envolvimento da escola com a família, a sociedade, a igreja, promovendo a igualdade entre os cidadãos; promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base nas experiências vivenciadas; incentivar a participação das famílias no processo educativo; estimular o desenvolvimento global da criança, respeitando suas características individuais, interagindo na sociedade como um ser autônomo, livre e solidário; manter e melhorar a qualidade dos serviços prestados à criança a fim de garantir o seu bem estar.


Fotos Rafael Simonis



Cada colégio desenvolve suas atividades dentro do programa municipal “Escola e Família de Mãos Dadas”

Um dos objetivos da proposta é incentivar a participação das famílias no processo educativo

9 visualizações0 comentário