top of page

Curso qualifica agentes de saúde e combate a endemias

O Governo de Santa Clara do Sul, por meio da Secretaria da Saúde, oportunizou às Agentes Comunitárias de Saúde e Agentes de Combate às Endemias do município a participação no programa federal “Saúde com Agente”, que é a maior formação técnica na área da saúde em formato híbrido. A capacitação ocorreu de agosto de 2022 a julho de 2023, numa parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) com o Ministério da Saúde.


Neste primeiro ciclo, participaram cinco Agentes Comunitárias de Saúde e duas Agentes de Combate a Endemias. O curso teve a preceptoria da enfermeira Eunice Maria Braun, que foi capacitada pelo Ministério da Saúde para auxiliar na capacitação. Ainda neste ano deve ocorrer novo ciclo do programa, quando serão capacitados os demais Agentes Comunitários de Saúde.


A iniciativa visa melhorar os indicadores de saúde, a qualidade e a resolutividade dos serviços da Atenção Primária aos munícipes. Também reforça a valorização dos Agentes, que desempenham um papel relevante como educadores para a cidadania na Saúde, por meio de maior atuação na prevenção e no cuidado das pessoas.


O curso teve uma carga horária de 1.275 horas e ocorreu de forma híbrida, sendo 570 horas em formato EAD e 705 horas de prática-presencial. Dividida em 26 disciplinas e 40 teleaulas gravadas, a capacitação também contou com quatro mil páginas de conteúdo técnico elaborado para as aulas interativas, fortalecendo e melhorando cada vez mais a atuação das agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias no município.


Conteúdos trabalhados no curso


· Diagnóstico das condições de vida e saúde da população do seu território de atuação, de forma articulada com profissionais da atenção básica;

· Trabalho integrado com a vigilância em saúde e a atenção básica no território;

· Ações de promoção e prevenção à saúde dos indivíduos e das famílias na lógica do ACS e ACE;

· Trabalho da vigilância em saúde, a partir de visão interdisciplinar e globalizada;

· Estratégias para mobilização da comunidade e o estímulo à participação nas políticas públicas voltadas para as áreas da saúde, ambiental e socioeducacional;

· Coletar e registrar dados relativos às visitas domiciliares, considerando as particularidades de grupos específicos;

· Conhecer as condicionalidades de programas sociais, em parceria com a rede de atenção intersetorial;

· Ações de planejamento integrado no tocante à promoção, prevenção e controle das doenças e agravos no seu território de atuação.



25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page