Programa municipal leva cultura à população

Ação iniciada em 2009 visa ampliar hábito de ler dentro e fora do ambiente escolar

Os jornais expostos numa caixa de papelão ao lado da porta de entrada à sala da direção na Escola Municipal de Ensino Fundamental Gustavo Seidel, em Sampainho, interior do município, simbolizam o objetivo do projeto de leitura desenvolvido pela Secretaria Municipal da Educação, Cultura e Desporto desde 2009. Popularizar e socializar esse hábito, cujos reflexos culturais possibilitam avanços em âmbito pessoal e profissional, tornaram-se metas a serem alcançadas.


Uma iniciativa na qual o benefício perpassa as salas de aula e atinge a comunidade de modo geral. O aluno, além de perceber a importância da leitura para vislumbrar um futuro melhor, vira um disseminador e um defensor desse ato que tem o poder de transformar a vida de uma pessoa. Que o diga o estudante Emerson Henrique da Silva, 11 anos. Morador de Sampainho, ele imbuiu o hábito de ler na sua rotina diária.


Os minutos que Emerson dedica para folhear as páginas dos jornais que ficam à disposição de alunos, professores e funcionários da Escola Gustavo Seidel de forma permanente servem não apenas para ampliar seu vocabulário, melhorar a fala e escrita e aguçar a imaginação, mas para expandir o senso crítico em relação ao mundo que o cerca.


De acordo com o secretário da Educação, Cultura e Desporto, Gilmar Hermes, a proposta de estimular a leitura no município foi intensificada há cerca de cinco anos, a partir do programa “Semeando Leitores para Qualificar a Vida”. Desenvolvido inicialmente em nível escolar, o projeto teve ações inovadoras, envolvendo todas as comunidades escolares.


Hermes lembra que a iniciativa trouxe benefícios aos educadores, estudantes e familiares, pois se verificou maior envolvimento de todos no processo de ensino e aprendizagem. “As aulas também se tornaram mais dinâmicas e atrativas, com leituras adequadas a cada faixa etária, além de propor ações renovadoras, fomentando um fazer pedagógico mais participativo”.


Em 2013, o projeto foi ampliado a partir do lançamento do programa “Santa Clara Mais Leitor” para atender toda a comunidade santa-clarense e regional, com ações culturais mais abrangentes. “Dessa forma, acredito que a secretaria assume sua função social, na medida em que propostas escolares relevantes são expandidas para além das paredes das salas de aula e dos ambientes escolares”, ressalta Hermes. Segundo ele, a escola não pode ser uma ilha.


O secretário menciona que as ações de leitura aumentam a busca constante por informações e conhecimentos, seja por intermédio de jornais, revistas, livros, redes sociais ou outras plataformas. “Na medida em que mais leitores se engajam ao hábito de ler regularmente, conforme atestam as retiradas de livros das bibliotecas, maior é a possibilidade de desenvolvimento sustentável”. Ele acredita que pessoas bem informadas e ativas jamais retornam ao estado de passividade e alienação anterior.



Saiba mais


O programa “Santa Clara Mais Leitor” foi lançado em 28 de maio do ano passado. Entre as ações previstas estão bibliotecas itinerantes que circulam pelos colégios municipais, prefeitura e demais setores públicos interessados. Escolas, famílias, empresas e órgãos públicos também são estimulados a formar leitores.


Destaque, também, para a elaboração de dois livros. Um deles ligado à literatura infantil e que conta toda a história do município, desde a chegada dos imigrantes até os dias de hoje, cuja publicação foi lançada durante a feira do livro deste ano.


Intitulada de “Aventura na Cidade das Flores”, a publicação tem 16 páginas compostas por fatos históricos descritos numa linguagem acessível às crianças. Ainda há pinturas e outras opções lúdicas que possibilitam a interação dos leitores. O outro livro concentrará os principais projetos educacionais desenvolvidos pela administração municipal e tem previsão de ser concluído em 2015. Também foi criado um jornal da educação que divulga as principais ações da secretaria e das escolas municipais.


Outras atividades visam afixar nas paradas de ônibus poesias de destaque criadas pelos alunos; estimular encontros dos autores com os alunos e pais; incentivar a leitura dos jornais regionais nas escolas; mensurar, por meio de pesquisa no município, os índices de leitura antes e durante o desenvolvimento das ações do programa de leitura; criar um site ou blog para sugestões entre os alunos das escolas e a comunidade.



Principais ações da cada escola


Gustavo Seidel, de Sampainho


- Hora da Leitura: ocorre todas as quintas-feiras, das 8h às 9h. Cada turma se vale de livrinhos de histórias, jornais, caixa itinerante de livros, revistas, etc. Esta leitura, posteriormente, é cobrada pelas professoras com relatórios, desenhos ou recontagem do que leram.


- Hora do Conto: o objetivo é contar histórias de forma alegre e agradável, a fim de atrair as crianças para o universo da literatura e ajudar na formação de novos leitores. Ocorre uma vez por semana. Cada história é adaptada e apresentada de forma distinta, utilizando técnicas como fantoches, ilustrações ou fantasias adaptadas à história.


- Sacola da Leitura: a sacola faz a ponte entre família-escola. São oferecidos diversos tipos de leitura, como jornal, livrinhos de histórias, revistas, joguinhos e atividades que devem ser resolvidas junto com a família.


- Cantinho da Leitura: é um espaço em cada sala de aula para ser usado na hora da leitura, hora do conto ou, então, quando um aluno terminou sua atividade proposta pela professora.

- Caixa da Leitura: composta por jornais e revistas. Os alunos diariamente pegam o material para ver as novidades.



Frei Henrique de Coimbra, de Nova Santa Cruz


- Cantinho da Leitura: tem um em cada sala de aula.


- Palquinho: os alunos sobem ao palquinho para ler um texto dado ou uma produção própria.


- Retirada de livros: os alunos das séries iniciais (pré ao 5º ano) retiram livrinhos da biblioteca toda semana e levam para casa para ler. Os alunos das séries finais (6º a 9º ano) retiram livros a cada duas semanas.


- Caixa itinerante: a Secretaria de Educação oferece uma caixa de livros que fica um tempo em cada sala de aula e é trocada entre os três colégios do município.


- Hora do Conto: realizado com os alunos do currículo, onde às vezes as professoras contam as histórias e outras vezes os próprios alunos se responsabilizam.


- Parada da Leitura: a cada semana é feita uma parada para realização de leitura de jornais, revistas, livros retirados da biblioteca ou textos sobre temas variados.


- Jornal Mural: fica exposto no pátio da escola com informações diárias e semanais dos principais acontecimentos da escola, comunidade, município, país e mundo.


- Enduro da Leitura: Esta atividade começa depois do Desfile Cívico, que ocorre dia 20 de setembro. Cada turma escolherá um livro e fará a leitura integral na mesma manhã, em conjunto, na sala de aula. Será marcado um dia para a turma apresentar o livro para as demais turmas da escola, da forma que quiserem: dramatização, música, hora do conto, etc.


- Mochila geométrica: a cada dois dias, um aluno do currículo leva a mochila para casa. Ela dispõe de um caderno com o início de uma história. Os alunos, junto com os pais, leem a história e finalizam a mesma. Na sala de aula, usam o palquinho para apresentar a história produzida pela família.


- Atividades na Gincana Cultural: cada equipe produzirá um texto falando da importância da leitura. O texto vencedor será publicado no jornal (A Hora ou O Informativo).



Willibaldo Both, de Alto Arroio Alegre


- Hora Cívica e Hora do Conto: na última sexta-feira de cada mês, os alunos das séries iniciais se reunirão para uma hora cívica na escola. Logo após a execução do hino, cada turma apresentará aos colegas das outras turmas, de forma criativa, um livrinho que trabalhou nas horas do conto do mês.


- Baú Laços de Família: teremos um baú com livrinhos de literatura infantil com abordagens relacionadas ao tema do projeto da escola. Este baú permanecerá uma semana em cada sala de aula das séries iniciais, devendo o professor escolher, semanalmente, um dos livrinhos para a realização da hora do conto junto à sua turma.


- Sacola Mágica da Leitura: cada turma terá uma sacola que circulará entre os alunos da mesma. Cada criança ficará com a sacola por uma semana, período no qual deverá escolher e ler um livro da sacola e registrar de forma resumida o que leu no caderno de registros que acompanha cada sacola.


- Parada da Leitura: semanalmente, os alunos do 6º ano a 8ª série serão reunidos para a realização dessa atividade. Cada parada da leitura terá duração de 45 minutos, em média.


- Dramatização de Conflito e Harmonia Familiar: os alunos do 6º ano a 8ª série farão uma peça teatral dramatizando situações de conflitos em família e de harmonia familiar.


- “Viagem à infância”: será desenvolvido com os alunos do 6º ano a 8ª série um miniprojeto, nas paradas da leitura, que proporcionará a cada um uma verdadeira viagem à infância.


- Parada da Leitura na Família: a cada trimestre será enviada para casa uma atividade para os alunos realizarem com os pais.


- Jornal D’Olho: é publicado a cada semestre. O jornal da escola é resultado de envolvimento de professores e alunos das séries finais.


- Cantinho do Jornal no corredor da escola: diariamente ficam à disposição dos alunos os jornais “A Hora” e “Informativo do Vale”.


- Cantinho da Leitura: cada sala de aula das séries iniciais possui o cantinho da leitura.



Pequeno Mundo, do Centro


- Hora do Conto: é realizada diariamente, sendo que em algumas turmas ocorre duas a três vezes por semana. A professora conta uma história utilizando diferentes materiais e recursos, como máscaras, fantoches, dedoches.


- Contação de Histórias: os alunos trazem o livro de casa e fazem a contação da história aos colegas e professoras.


- Confecção do Livro da Família: cada turma confecciona o Livro da Família.


- Visitas à Biblioteca: ocorrem a cada semana, quando os alunos podem escolher e retirar livros do seu interesse.



Fotos Rafael Simonis e Divulgação



Em Alto Arroio Alegre, Escola Willibaldo Both mantém cantinhos da leitura nas salas de aula

Na Escola Gustavo Seidel, voluntários ajudam a disseminar a importância da leitura

Alunos da Escola Frei Henrique são estimulados desde cedo a terem contato com os livros

Escola Municipal Pequeno Mundo realiza visitas semanais à biblioteca pública municipal




0 visualização

Secretaria de Saúde

Assistência Social:

Conselho Tutelar

Fiscalização (Sanitário)

Departamento de Obras

Conselho Tutelar (Alternativo)

Plantão da água (Vivo)

Departamento da Agricultura

Ambulância

Plantão de máquina (Vivo)

Plantão da água (Claro)

Secretaria da Educação

Ambulância (Alternativo)

Plantão de máquina (Claro)

Fiscalização (Geral)

Prefeitura de Santa Clara do Sul

Fone: (51) 3782-2250

Avenida Emancipação, n° 615, Centro Santa Clara do Sul - RS

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon